Desde o princípio da impressão em caracteres móveis que os tipógrafos começaram a usar marcas de impressor, uma gravura para acompanhar ou, em algumas ocasiões, para servir de pé de impresa num livro.

Antes da década de 1510, a maioria das marcas de impressor encontram-se junto ao colofão, e a partir daí, mais usualmente, no frontispício. Um dos exemplos mais famosos é a marca de Aldus com a âncora e golfinho.

Apesar de esta prática ter caído em desuso a partir do século XVII, na verdade nunca se perdeu totalmente, havendo alguns editores contemporâneos que a usam, especialmente em edições especiais e para bibliófilo.

Marca de Valentim Fernandes
Marca de Luís Rodrigues
Marca de Aldus