Criada em Paris por René Bèrtholo e Lourdes Castro, também seus editores, impressores e distribuidores, a KWY foi uma importantíssima revista que se tornou nome de grupo e que expressou entre 1958 e 1964 as grandes alterações sofridas na sociedade e no mundo artístico daquele tempo. Além de René Bèrtholo e Lourdes de Castro, participaram activamente Gonçalo Duarte, José Escada, Costa Pinheiro, João Vieira, Jan Voss e Christo.

Impressa em serigrafia, prolongou-se por seis anos nos seus doze números, editando-se ainda o número hors-série, em conjugação com a revista «Sens Plastique», publicada pela galeria-livraria «Soleil dans la Tête», que serviu de catálogo à exposição que o grupo KWY realizou naquele espaço. O Grupo apresentou-se inteiro em quatro exposições (Saarbrücken e Lisboa, em 1960; Paris, em 1961 e Bolonha, em 1962). Com tiragens reduzidas nos seus cinco primeiros números, a partir do sexto (com tiragem de 500 exemplares) seria vendida em galerias e livrarias de Paris, Lisboa, Porto, Nova Iorque, Basileia, Tóquio, Bolonha, Bruxelas, Munique, Hamburgo, Viena, Londres, São Paulo, Berlim, Amsterdão, Estugarda, Mainz e Düsseldorf.

O grupo KWY constituiu um colectivo de artistas informal com projectos distintos que elaboravam artesanalmente a revista. Esta publicação dedicou-se fundamentalmente às artes plásticas, sem descurar a poesia e a crítica de arte. A serigrafia e os vários formatos (30×18 nos 3 primeiros números; 24×30 no 4.º; 26×17 no 5.º e 6.º; 31×21 no 7.º; 30×21 no 8.º; 31×20 no 9.º; 30,5×20,5 no 10.º e 11.º; 31×21,5 no 12.º) conferem-lhe características muito peculiares, afastando-a de outras publicações convencionais.

Além dos membros do grupo, nela encontramos os inestimáveis contributos originais de Vieira da Silva, Arpad Szenes, Jorge Martins, Peter Saul, Corneille. P. Alechinsky, Dufrêne, Raysse, Vautier, Pol Bury, Télémaque, Cruz-Díez, Soto, Klasen, Biasi, Millares, Saura, Rotella.

A ECLÉCTICA LEILÕES teve o privilégio de ter sido a primeira leiloeira a vender um exemplar completo desta raríssima, valiosa e peculiar publicação de um grupo extraordinário de artistas.

Capas dos doze números da revista

Descrevemos a seguir, muito sucintamente, o conteúdo de cada número

1: Capa de Lourdes Castro, serigrafias originais de René Bèrtholo e Lourdes Castro, poemas de Sol Acín e François Simoneau, extrato de texto de René Huyghe.

2: Capa de René Bèrtholo, poemas de Helder Macedo e Lucy Teixeira, serigrafias de Jan Voss e Gonçalo Duarte.

3: Capa e serigrafia de José Escada, poesia de Herberto Helder, Michèle t’Serstevens e João Vidal, reprodução de quadro de K.F. Brust.

4: Capa de Costa Pinheiro, textos de Guy Weelen, Nuno Bragança, reproduções de desenhos de Bèrtholo e Cargaleiro, serigrafia original de Vieira da Silva, com apresentação de José-Augusto França, e serigrafia de Christo, dois poemas de Cristóvão Pavia.

5: Serigrafias originais de Millares, João Vieira, Lourdes Castro e de Jan Voss, reproduções de fotografia de Denise Colomb, de quadro de Lourdes Castro e Jorge Martins, poesia de António Ramos Rosa, Mario Cesariny, Manolo Millares, José M. Simões, Luís de Macedo, Manuel de Castro, Pedro Tamen e Joana (criança de oito anos); ensaio de V. Aguilera-Cerni.

6: Serigrafia de António Saura, três de José Escada (impressas manualmente), quinze reproduções a preto e branco de António Saura, Dubuffet, Gonçalo Duarte, Müller e Tapiés, texto de Alfredo Margarido, António Saura, Manuel de Castro, Michel Tapié, Sebastião Fonseca, roteiro intitulado «As exposições KWYmos».

7: Homenagem a K.F. Brust, colaborações escritas de A. Pieyre de Mandiargues, Franz Roh, José-Augusto França. K. F. Brust e René Brust, colaboração plástica de Christo (4 serigrafias), reproduções de Bissier, Nevelson e Vieira da Silva, reprodução em folha solta dos painéis de Nuno Gonçalves, rúbrica «Les Expositions K’on Woit Yci».

8: Capa de Lourdes Castro, textos de António Areal, A. Pieyre de Mandiargues, Bazon Brock, Claus Peter Jllinger, J.J. Levêque, João Vidal, José-Augusto França, Carl Laszlo, Manuel de Castro, Spacagna; serigrafias de Arpad Szenes, Bertini, Biasi, Christo, Jan Voss, Escada, Bèrtholo entre outros.

9: Organização por Jan Voss, serigrafias originais de Biasi, Georges Nöel, Jan Voss, Paul Wunderlich e Bèrtholo, reproduções a preto e branco de Cy Twombly, Chisto, Lourdes Castro, textos de Biasi, C. Laszlo, François Dufrêne, J.J. Lévêque e Benjamin Patterson.

10: Organização de Bèrtholo, poema de Mimmo Rotella, textos de José-Augusto França, colaborações de Imre Pan, Jean Clarence Lambert, Nuno de Bragança, Robert Filliou, Pol Bury; serigrafias originais de Peter Saul, Corneille, Lourdes Castro e Costa Pinheiro (o presente exemplar conserva a agulha suspensa por fio sobre fundo branco com riscas pretas).

11: Organizado por Christo, capa combinando fotografia de Shunk e Kender com letras estaladas por Raymond Hains, textos de Alain Jouffroy, Daniel Spoerri, Emmett Williams, François Dufrêne, Mimmo Rotella, Ben Vautier, poema de R. Filliou, serigrafias originais impressas à mão de Niki de Saint Phalle, Tinquely, Arman, Villeglé, Lourdes Castro, Martial Raysse e Daniel Spoerri. Inclui o pequeno disco de Bernard Heidsieck.

12: organização de Lourdes Castro; dezoito folhas reproduzindo 54 postais, cada folha inclui 3 postais picotados.

Referências:

Daniel Pires, II, 1, pp. 279-285 | Enciclopédia Século XXI, 17, col. 156-158 | MACIEL, Artur «Exposições», Colóquio Revista de Artes e Letras, nº.12 (fev.1961).