#bibliofilia #encadernação

Jean Grolier de Servières, visconde de Aguisy, (n. Lyon, 1489/90 — f. Paris, 22 de Outubro de 1565), Bibliófilo francês e patrono dos encadernadores, conhecido pelas sumptuosas encadernações da sua colecção que deram origem a um estilo.

Homem rico e verdadeiro humanista, Grolier patrocinou vários artistas, entre eles Aldus Manutius, fundador da famosíssima imprensa Aldina e um dos primeiros editores do mundo. Possuidor de uma biblioteca que se estima em cerca de 3000 volumes, todos os seus volumes estavam encadernados de forma luxuosa, na sua maioria em marroquim, decorado com um design inovador cheio de cores e ouro com padrões únicos. De notar que, na época, os livros saiam a maioria das vezes por encadernar do impressor, sendo da responsabilidade dos bibliófilos a escolha do encadernador e tipo de encadernação, sendo por isso que se encontram diferentes encadernações para a mesma edição.

Da sua colecção estima-se que tenham sobrevivido cerca de 400 exemplares, todos marcados com duas frases em latim na pasta anterior e na posterior. Na anterior pode ler-se “Io. Grolierii et amicorum” — para uso de Jean Grolier e seus amigos —; e “Portia mea, Domine, sit in terra viventium” — Oh Deus, possa a minha parte ficar na terra dos vivos.

É um dos casos em que a encadernação pode ser muitíssimo mais valiosa que o livro. Em 2010 a leiloeira Christies juntou o melhor dos mundos num lote extraordinário. Uma primeira edição do Polifilia atribuído a Francesco Colonna, um dos maiores exemplos da mestria da imprensa de Aldus, e o exemplar da colecção de Jean Grolier [veja aqui este estraordinário exemplar].


Dois exemplos de encadernações realizadas para Jean Grolier.